Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Radio TugaNet

Uma Radio Com Gente Dentro Na Web Desde 2002 Estudios em Londres

Rádio TugaNet

12
Dez19

É hoje! Eleições no Reino Unido

As urnas abrem hoje ás 7 da manhã e só encerram às 22 horas. Será de esperar um dia longo e os resultados definitivos só serão conhecidos pela noite dentro.

Boris Johnson já foi votar em Westminster, acompanhado do seu fiel companheiro de quatro patas.

De salientar que segundo as sondagens, o partido conservador ganha com uma maioria confortável. 43% do partido conservador contra 33% do partido trabalhador.

Imagem do site Globo

 

10
Dez19

Reino Unido: Campanhas de voto útil

Todos nós sabemos que quando as coisas estão complicadas em época de eleições, as campanhas pelo voto útil multiplicam-se. E o que é o voto útil? Nada mais, nada menos do que votar num partido diferente do que é costume, para assim tentar maximizar os votos num candidato com mais hipóteses de ganhar contra um rival mais forte.

E nisso, os Britânicos são especialistas, não fossem as campanhas multiplicarem-se na internet como cogumelos! Existe o Get Voting [https://getvoting.org], da organização Best for Britain, Remain United [https://www.remainunited.org], da empresária e activista Gina Miller, Tactical Voting [https://www.tactical-vote.uk], da campanha por um segundo referendo People’s Vote, Tactical Vote [tactical.vote], dos académicos Luke Cooper e Mary Kaldor.

Cada um destes portais na Internet tem sondagens e estatísticas para indicar qual o candidato em melhor situação para forçar um segundo referendo sobre o ‘Brexit’.

Estas plataformas existem porque o sistema eleitoral britânico elege os deputados por círculos uninominais por maioria simples, ou seja, ganha quem tem mais votos [First Past the Post], que muitos consideram menos justo do que o sistema de representação proporcional.

noticia adaptada e imagem tirada do DN

05
Dez19

Os eleitores estão confusos no Reino Unido

Lisa Bremner é uma das muitas eleitoras que não sabem em quem votar. Se em 2014 votou contra a independência da Escócia e, em 2016, pela permanência do Reino Unido na União Europeia este ano as coisas complicaram-se! Agora, se votar no partido nacionalista escocês (SNP na sigla em inglês), Lisa estará a escolher um partido que vai lutar por retirar a Escócia do Reino Unido, se escolher os Conservadores, estará a votar pelo 'Brexit'.

Alex Massie, jornalista, diz que os eleitores escoceses dividem-se em quatro tipos: Os que votaram sim à independência e não ao 'Brexit', os que votaram não à independência e sim ao 'Brexit', os que votaram sim a ambos e os que votaram não a ambos.

Já o o politólogo Michael Keating acrescentou que nenhum desses grupos tem a maioria: "Não há uma maioria em nenhuma das combinações". Ele acha que os Conservadores deverão reunir cerca de 25% dos eleitores, aqueles que votaram 'não' à independência e 'sim' ao Brexit; enquanto o SNP deverá angariar os votos dos cerca de 50% que votaram 'sim' à independência e para ficar na União Europeia. Depois há uma outra parte da população que está indecisa.

Outro jornalista, Alastair Stewart, que moderou o debate, resumia assim a questão: "A maioria das pessoas comuns está confusa com tudo isto, porque lhes fizeram tantas perguntas diferentes. Antigamente a decisão era entre esquerda e direita, comunismo e capitalismo, socialismo e liberal-democracia. Atualmente é entre 'Brexit' e independência. E ninguém fala dos problemas que afetam as pessoas: a saúde, a educação...".

Resumindo: quem esperava que o debate em Edimburgo viesse esclarecer alguma coisa, ficou rigorosamente na mesma!

noticia adaptada do site noticias ao minuto

gosto botão